Sobre

Um grande Congresso


Quando o Ex-Presidente do STF, Ministro Pertence, encerrou o III Congresso dizendo que “Curitiba é a Capital do Direito Eleitoral”, ainda não podíamos ter a noção do que tínhamos acabado de realizar. Enquanto nos dois primeiros Congressos (2008 e 2010) contamos com público de 500 espectadores, terminávamos 2012 com mais de 1.100 presentes, vindos de outros Estados, interior do Paraná, Curitiba e entorno. Havíamos mais do que duplicado o Congresso, algo possível apenas a cada quatro anos, em eleições municipais.

Já em 2014, diante das eleições gerais, nossa expectativa de público para o IV foi redimensionada. Nos aproximamos dos setecentos inscritos, algo relevantíssimo, já que o pleito nacional mobiliza menos profissionais. Satisfeitos com o resultado, pois a capacidade do auditório estava ocupada, nos deparamos com ótima surpresa ao encerrar as inscrições: pela primeira vez todos os Estados (e o Distrito Federal) se fariam representados.

A sensação foi de vitória. Tínhamos conseguido um pequeno Congresso de Curitiba, nascido em 2008 pela união de profissionais que enxergavam protagonismo no direito eleitoral, verdadeiramente, um evento de alcança nacional. E não poderíamos ter alcançado esse resultado sem o imprescindível apoio do Ibrade (Instituto Brasileiro de Direito Eleitoral), responsável por parcela importante desta presença nacional.

Mas nosso desejo de superar expectativas não parou por aí. Se só em 2014 pudemos perceber a importância do evento de 2012, diante do grande público interessado, esperamos em 2016, novamente com eleições municipais e intenso debate sobre reforma política, contar com um incremento ainda maior na participação do público, pois além de aguardar novamente inscrições de Roraima ao Rio Grande do Sul, realizando o evento no Teatro Positivo – Grande Auditório, nosso público deverá ultrapassar os 2.300 inscritos.

Portanto, mantidas as premissas que sempre fizeram do Congresso Brasileiro de Direito Eleitoral, em Curitiba, o mais aguardado do país, trabalharemos para fazer do V encontro o maior em público, buscando incrementar ainda mais nas palestras e nos temas buscados por todos aqueles que participarão do pleito de 2016.

Os sucessos anteriores, certamente, nos credenciam a bater este novo recorde. Contamos com seu apoio para tanto!

Gustavo Bonini Guedes – Presidente do Iprade


Eventos simultâneos

Aprofundam temas de interesse e debatem assuntos reflexos ao Direito Eleitoral


Além das palestras inseridas no palco central, desde 2012 são realizadas mesas simultâneas, por onde é possível se debater improbabilidade administrativa e assuntos relacionados à imprensa. Com isso o público atraído pelo Congresso não se restringe aos profissionais da advocacia. Agentes políticos e pessoas ligadas à comunicação também podem participar.

Em 2014 foram dois painéis com especialistas no tema (Advogados, Desembargador do Tribunal Regional Federal da 4° Região, Conselheiro do Tribunal de Contas do Paraná), bem como, no evento voltado à imprensa, discutiu-se com profissionais da comunicação aspectos relacionados às redes sociais e liberdade de imprensa.

Já em 2016 trabalharemos com outros cinco eventos, para públicos diversos, relacionados ao marketing eleitoral: contabilidade de campanha, improbabilidade administrativa, e imprensa, além de cursos rápidos (com 3 horas de duração) voltados para temas específicos do direito eleitoral, à escolha dos participantes.